Como lidar com chefes tiranos

“A tirania é um hábito com a propriedade de se desenvolver e dilatar a ponto de tornar-se doença.”

Fyodor Dostoievski

Não, eles ainda não foram extintos. Os tiranossauros estão ao seu redor – sim, ao seu redor, porque atualmente tenho a felicidade de não ter nenhum animal pré-histórico compartilhando meu espaço, muito embora tenha aturado vários deles rodeando meu cubículo em algum lugar no passado. Até que se prove o contrário, os dinossauros já não habitam minhas terras.

O site How Stuff Works publicou um artigo explicando como um Tiranossauro Rex (ou T-Rex) “funcionava”. Algumas características peculiares:

  • Um T-Rex poderia travar batalhas mortais com outro T-Rex, com o objetivo de defender território e demonstrar superioridade.
  • Era um respeitável predador, mas poderia alimentar-se de carniça, caso não houvesse presas a disposição.
  • O T-Rex era dotado de visão superior, bem adaptada à caça, assim como era bom em farejar presas.
  • Tinha braços curtos, que não eram úteis para capturar suas presas, mas fortes o suficiente para segurar a vítima ou manipular a carcaça.
  • Em caso de queda, seu longo corpo, cabeça grande e braços curtos formavam a combinação ideal para ferimentos fatais, especialmente se o T-Rex se locomovesse em alta velocidade no momento da queda.

Predador respeitável, que luta contra outros predadores em defesa de seu território, e que pode se alimentar de carniça caso não haja presas suficiente. Visão superior e bom em farejar presas. Braços curtos para execução, feito o Horácio da Turma da Monica (lembra-se do termo, Aline Medici ?!?), mas suficientemente hábeis para segurar a vítima ou manipular carcaças. Quedas poderiam ser fatais, especialmente se o predador se locomovesse em alta velocidade. A definição soa familiar?

Chefes tiranos agem tal qual um T-Rex. Eu, particularmente, não gosto de ter um dinossauro com tal comportamento para chamar de chefe, e acredito que esse seja seu caso também – exceto se você é um paleontólogo ou aficionado por T-Rex, ou se você é o próprio T-Rex em pessoa, situação na qual lhe imploro que me deixe uma declaração formal nos comentários abaixo, para que nunca corra o risco de vir a trabalhar para você. Não quero outro chefe tirano rodeando meu cubículo, já tive alguns há mais de uma década e sei como é viver sob a ameaça constante de virar lanchinho da tarde de dinossauro…

Mas o que fazer, caso você ainda tenha o desprazer de ter um chefe tirano rodeando sua mesa? Aqui vão algumas recomendações, com base em minhas experiências anteriores com alguns T-Rex. Como vocês podem ver, sobrevivi aos T-Rex e posso compartilhar minhas experiências com a propriedade de quem olhou a besta nos olhos e saiu (quase) ileso:

  1. Ofereça ao T-Rex uma presa apetitosa, que valha a pena cada segundo do ritual de caça, que o T-Rex tenha prazer em degustar e possa mostrar aos outros dinossauros quem é que manda. Não estou dizendo para oferecer um colega de trabalho como presa, isso não seria nada cordial de sua parte; estou dizendo que o T-Rex deveria estar ocupado em caçar aquela oportunidade de negócio que fará com que se sinta superior aos outros dinossauros.
  2. Lembre-se, o T-Rex tem braços curtos. O trabalho de caça deve ser suportado por discreto apoio no cerceamento da presa. Em outras palavras, faça o trabalho difícil e deixe ao T-Rex o imenso prazer de agarrar a presa com seus bracinhos curtos e dilacerá-la com seus dentes pontiagudos.
  3. O T-Rex tem visão e olfato aguçados, então use-os a seu favor. Sabe aquele projeto que você tanto queria implementar, e que trará milhões em retorno para a empresa? O T-Rex saberá farejar essa presa, basta deixá-la estrategicamente ao seu alcance e ele se encarregará de devorá-la.
  4. Um T-Rex de respeito lutará por território contra outros T-Rex. Você não quer que isso aconteça, pois seu T-Rex pode sair seriamente ferido da batalha, e aí poderá descontar em você, em uma única e grande bocada. Proteja seu T-Rex contra invasores, mantendo-o fora de encrenca. Faça o papel de desviar outros T-Rex para outros territórios, mostrando que há outras presas apetitosas – leia-se oportunidades de negócio – bem longe das terras de seu T-Rex.

Independentemente das dicas acima, tenha uma coisa sempre em mente: um T-Rex é um dinossauro muito habilidoso, mas ainda assim um dinossauro, com o temperamento instável que lhe é peculiar. Por mais que se possa sobreviver ao lado de um T-Rex por algum tempo, não há garantias de sobrevivência por todo o tempo. Um dia ele poderá achar que você é a presa mais apetitosa da savana. Não espere que isso venha a acontecer – junte toda a experiência de ter sobrevivido a um T-Rex e mude-se para outras savanas, de preferência aquelas não habitadas por outros T-Rex. Ouvi dizer que há um grupo de mamíferos que andam em duas pernas, raramente passam de 1,80 metro de altura e costumam ser mais racionais que dinossauros. Talvez valha a pena tentar uma aproximação com tais animais, que costumam levar uma vida mais sociável e colaborativa que a dos dinossauros. E esteja certo que as habilidades desenvolvidas por você na gestão do T-Rex serão muito valorizadas pelo seu novo chefe humano.

Imagem: Nancy Wise em http://quotesgram.com/.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.