Minha vida perfeita no Instagram

Esta nova série de textos semanais propõe um diálogo sobre as mentiras que rodeiam nossas vidas e suas consequências. Neste primeiro texto da série, tratamos da enorme distância que existe entre a vida que mostramos ao mundo e aquela que vivemos de verdade.

“A origem da mentira está na imagem idealizada que temos de nós próprios e que desejamos impor aos outros.”

– Anaïs Nin

É ligar o celular pela manhã e ouvir uma sequência infindável de “plins”. São mensagens dos mais diversos grupos do WhatsApp, notificações do Instagram e do Messenger, isso tudo sem contar os emails. Não, esse não é meu celular. Ele sempre fica no silencioso e as notificações estão todas desativadas, inclusive as de email da empresa. Essa é a sinfonia matinal do celular da minha esposa.

Mas a única diferença entre a gente está nos alertas sonoros, não nas mensagens em si. E aposto que sua realidade não é muito diferente da nossa. Todos os dias, você acorda com uma enxurrada de “bom dia” nos grupos do WhatsApp, com mensagens privadas compartilhando algum assunto de interesse comum, e assim por diante. Acordamos todos com essa avalanche de interações virtuais.

Tyler Nix

 

E no meio de todas essas mensagens, quantas verdades, quantas lições a serem aprendidas, quantas coisas belas a serem apreciadas, quantas coisas tontas que só estão ali mesmo pra nos fazer sorrir… e mais um número incontável de mentiras, não é mesmo? A pergunta é a seguinte: quais mentiras observamos nas redes sociais com maior frequência, e quais são aquelas que insistimos em contar ao mundo?

“A principal mentira é a que contamos a nós mesmos.” 

– Friedrich Nietzsche

Uma pesquisa realizada na Inglaterra concedeu ao Instagram o título de pior rede social para a saúde mental dos jovens. Segundo a pesquisa, o Instagram, seguido pelo Snapchat, seriam as plataformas com maior potencial para alimentar a ansiedade, a solidão e problemas com relação à imagem corporal.

Imagens cuidadosamente escolhidas para mostrar aquele momento de pura felicidade, aquele corpo escultural, aquela pose sensual, aquele prato saborosíssimo, aquela paisagem paradisíaca. Fragmentos de textos que podem significar qualquer coisa e, assim, parecem que foram escritos especialmente para você. A fácil conexão, via Direct, que faz com que você se sinta parte de uma comunidade, trocando ideias com pessoas que você nunca viu e, muito provavelmente, nunca irá encontrar frente-à-frente na vida real, mas que parecem as pessoas mais interessantes, descoladas, atraentes e sedutoras do mundo. E estão todas ali, à sua disposição, naquele ambiente virtual. E tudo isso associado àquela espera pelos likes e comments, que têm que vir de todos os seus contatos, o mais rápido possível, ou então você vai achar que seus seguidores já não se importam mais com você. Um prato cheio para baixar a auto-estima de quem já não está assim tão bem consigo mesmo.

Tal Heres

 

O que você compartilha com maior frequência nas redes sociais? Sua super-ativa vida social? Ou seu refinadíssimo paladar? Ou sua incansável rotina de treinos? Ou sua sensualidade à flor da pele? Ou sua vida perfeitamente balanceada entre trabalho, família, amigos e saúde? Ou sua dedicação incondicional à família? Ou sua fé inabalável? Ou seu engajamento político? Ou sua permanente defesa ao politicamente correto?

Nada disso está errado, desde que seja verdadeiro – e não se torne uma avalanche de posts que ninguém agüenta mais… Tenha a coragem de mostrar-se nas redes sociais como você realmente é. O problema é quando aquilo que você mostra é uma mentira para o mundo. Pior ainda, se aquilo é uma grande mentira que insiste em contar pra si mesmo.

Não tente se fazer passar por algo que você não é. Já carregamos máscaras demais, não precisamos de mais um punhado delas para construir alguém que sabemos que não somos. Isso não é sustentável, um dia a verdade aparece. Como dizem os mais velhos, “a mentira tem perna curta”. E ainda que leve tempo para que sua mentira seja descoberta, esteja certo de uma coisa: seus contatos virtuais podem nunca vir a descobri-las, mas enganar sua consciência não é tarefa assim tão fácil quanto enganar aos outros. E mentir pra si mesmo, meu amigo, essa é sempre a pior mentira. Até mesmo porque você sabe que não vive a “verdade” que você insiste em contar no mundo virtual.

Andre L Braga tem formação em Coaching & Mentoring pelo Instituto Holos, embora não exerça profissionalmente tal função. Atua em finanças em uma multinacional de bebidas não-alcoólicas. Ao se deparar com certas mentiras nas redes sociais, costuma adotar aquela máxima do “só observando”. Mas difícil mesmo é observar as mentiras que, assim como a maioria das pessoas, insiste em contar a si mesmo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.