Sobre ser religioso, mas alimentar o ódio.

Esta série de textos semanais propõe um diálogo sobre as mentiras que rodeiam nossas vidas e suas consequências. Neste texto, publicado dias antes da celebração do Natal, abordamos o retorno da humanidade à Idade das Trevas.

“Se alguém diz: ‘Eu amo a Deus’, mas odeia o seu irmão, é mentiroso. Pois ninguém pode amar a Deus, a quem não vê, se não amar o seu irmão, a quem vê. O mandamento que Cristo nos deu é este: quem ama a Deus, que ame também o seu irmão.” 

– Trecho da Bíblia Sagrada

Como boa parcela da população brasileira, minha esposa, meus irmãos e eu tivemos formação católica, mas muitos de nós acabamos seguindo outros caminhos na vida adulta. Minha esposa é espírita e eu, budista. Dois de meus irmãos seguiram os Mórmons, abandonaram a prática e hoje, pelo que sei, são agnósticos. Outros seguiram para a corrente que normalmente chamamos de “crentes” no Brasil, mas que inclui uma ampla gama de igrejas de cunho cristão, como a Igreja Batista, a Congregação Cristã e outras mais voltadas ao público jovem, como a Bola de Neve. Até onde sei, não temos nenhum seguidor do Judaísmo, Hinduísmo, Candomblé ou Islamismo em nossas famílias, mas isso não vem ao caso.

Tirando um reduzido número de membros de minha família, eu incluído, todos mantém a prática religiosa embasada no cristianismo! Diferentes igrejas, mas todas tendo a Bíblia Sagrada como pedra fundamental. O Natal é uma das datas mais importantes do calendário cristão, o qual é seguido pela minha e por tantas outras famílias brasileiras. O cristianismo continua sendo a religião predominante no Brasil.

Independentemente de sua crença, numa coisa você pode estar certo: todas as religiões pregam exatamente o mesmo “amar ao próximo”. Sérgio Biagi Gregório, em artigo publicado na página do Centro Espírita Ismael, comparou diversos textos sagrados, relacionados a diversos temas, dentre eles o amor ao próximo. Eis o que ele descobriu:

“Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Judaísmo)

“Eu vos dou novo mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei… Assim sereis reconhecidos como meus discípulos, se tiverdes o mesmo amor uns pelos outros.” (Cristianismo)

“Um homem adquire uma boa regra de conduta quando vê o próximo como a si mesmo.” (Hinduísmo)

“Só é feliz o homem pleno de amor por todas as coisas do mundo e que pratica a virtude em benefício dos outros.” (Budismo)

“Procura estar em harmonia com todos; sê amigo dos teus irmãos.” (Confucionismo)

“Ninguém é crente se não tiver amor ao próximo e se não amar seu irmão tal como ele é.” (Islamismo)

Se todas as religiões pregam o amor ao próximo, de onde vem essa sede de justiça pelas próprias mãos, esse preconceito contra minorias, essa luta desesperada para que homossexuais sejam tratados como se fossem doentes?

“Dizem que quem manda no Congresso hoje é a bancada BBB: bala, boi e Bíblia.”

– Alberto Fraga

“Africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato.”

– Marco Feliciano

“A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, a rejeição.”

– Marco Feliciano

Vivemos uma nova Idade das Trevas. O mesmo religioso que prega a moral e os bons costumes, também defende o direito do cidadão comum de portar armas, para poder defender-se da crescente violência que assola o país. O mesmo religioso que prega o amor ao próximo, também afirma que nada pode fazer em favor dos negros, porque eles foram amaldiçoados por Noé e agora têm uma sina a cumprir. O mesmo religioso que prega o amor ao próximo, também condena os homossexuais, tratando-os como doentes a serem curados desse mal da alma.

Provavelmente, a implicância com os homossexuais se baseia na passagem bíblica que afirma que “o seu corpo é o templo do Espírito Santo”. Meu filho, presta atenção! É o seu corpo, não o corpo dos outros! Cuida do teu corpo, porque ali habita o Espírito Santo, e deixa os outros fazerem o que quiserem com os deles! Você não veio ao mundo pra salvar as almas dos outros, esse foi o papel do Filho de Deus, tá sabendo?

IMG_1747

 

Já a defesa do cidadão de bem contra a violência, por meio do uso da violência… essa eu não faço idéia de onde na Bíblia tiraram esse absurdo! Tem aquela história do “olho por olho”, mas acho que isso é alcorão e nem deve ser interpretado tal qual. Enfim, o ódio não se combate com o ódio. Apenas o amor pode anular o ódio. Armar a população, reduzir a maioridade penal, fazer justiça pelas próprias mãos… tudo isso é paliativo, pode até resolver seu pequeno problema, naquele exato momento, mas não resolve absolutamente nada de forma duradoura.

Se você realmente acredita em Deus e entende o que significa a celebração do Natal, te convido a viver aquilo que a Bíblia realmente prega, parar de dar ouvidos a discursos de ódio e direcionar suas preces e ações ao desenvolvimento da paz mundial. E tudo isso começa bem pequenininho, aí dentro da sua cabeça e do seu coração.

Termino este texto desejando um Feliz Natal, na paz de Jesus Cristo, a todos vocês!

Andre L Braga tem formação em Coaching & Mentoring pelo Instituto Holos, embora não exerça profissionalmente tal função. Atua em finanças em uma multinacional de bebidas não-alcoólicas. Deseja a todos os seres sencientes que possam desenvolver o amor ao próximo como forma de encontrar a verdadeira felicidade em seus corações. Amém. Shalom. Axé. Namastê.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.